OS ESTIGMAS SOBRE O CAMPO E O RURAL NO AMBIENTE ESCOLAR

Capucho, Alice Aparecida (2020-01)

tcc

Considerando a perspectiva hegemônica urbanocêntrica da sociedade atual, na qual o campo é visto como atraso e a cidade como sinônimo de desenvolvimento, partimos do pressuposto de que os alunos camponeses quando inseridos em escolas urbanas sofrem com a estigmatização atrelada aos conteúdos rurais. Nesse sentido, buscamos demonstrar a relevância de uma educação apropriada para esses sujeitos, avaliando como os estereótipos reproduzidos no ambiente escolar impactam negativamente na reprodução social do campesinato. Para isso optamos por uma abordagem metodológica de caráter qualitativo em que foram entrevistadas pessoas que possuem o modo de vida ligado ao campo e que passaram pelo processo de escolarização na cidade. Dialogamos ainda com professores de uma escola situada na sede do município de Nova Venécia – ES que atende um grande número de estudantes que residem no interior. A partir da análise das entrevistas ficou evidente que as escolas de viés urbano reproduzem os estigmas sobre o campo e o rural e que esses alunos ao internalizá-los, o que tende a leva-los a ao associar sua identidade camponesa ao sofrimento e ao sentimento de inferioridade e por esta razão a querer se desvincular dela.

Considering the hegemonic urban-centric perspective of today's society, in which the countryside is seen as backwards and the city as a synonym of development, we assume that peasant students, when inserted in urban schools, suffer with stigmatization linked to the rural contents. In this sense, we aim to demonstrate the relevance of an appropriate education for these individuals, evaluating how stereotypes reproduced in the school environment negatively impact the social reproduction of the peasantry. Therefore we opted for a methodological approach of qualitative character in which people who have a way of life linked to the countryside and who went through the schooling process in the city were interviewed. We also dialogued with teachers of a school located in the city of Nova Venécia - ES which serves a large number of students residing in the interior. From the analysis of the interviews, it was evident that urban bias schools reproduce the stigmas over the countryside and the rural and that these students, when internalizing them, tend to want to detach themselves from their peasant identity for associating it with suffering and the feeling of inferiority.


Collections: