Iluminação para estúdio de tatuagem

Barroca, Átila Vasconcelos (2019)

tcc

Tudo o que se vê é luz, portanto a qualidade da iluminação pode ser determinante na leitura do que se vê. Aplicando isto ao exercício de uma profissão, nota-se a importância que a luz pode ter, principalmente para atividades exigentes. O ramo da tatuagem é uma delas, onde o profissional executa tarefas cuidadosas e, a depender do desenho, com elevado nível de precisão. Esta pesquisa apresenta um estudo das necessidades qualitativas e quantitativas para iluminação em estúdios de tatuagem levando em consideração as complexidades do exercício dessa arte. Neste, foram realizados 3 estudos de caso com levantamento do layout dos ambientes de procedimento, identificação dos sistemas luminosos instalados e medição das iluminâncias promovidas por eles. A partir dos estudos, uma sala de procedimento foi selecionada para uma proposta de retrofit com novo layout que aproveitasse mais adequadamente a luz natural durante o ano e com novo conjunto para luz artificial de características próprias aos usuários, tatuador e cliente atendido. O desenvolvimento da proposta contou com consulta da NBR ISO/CIE 8995-1 (ABNT, 2013) através de similaridades de casos, cálculos luminotécnicos de cunho analítico pelo método dos lúmens e simulações por meio do APOLUX IV. Neste programa foram realizadas Estimativas Anuais do Aproveitamento de Luz Natural (EALN), que auxiliaram no reposicionamento dos elementos da sala escolhida, e simulações do comportamento da luz artificial emitida pelo jogo luminoso projetado. Este último foi definido como um conjunto de sancas para lançamento de luz indireta e difusa e nas simulações foram testadas 4 opções de quantidades de lâmpadas, sendo uma delas a quantidade calculada pelo método dos lúmens. Os resultados obtidos mostraram que o valor de fluxo luminoso total calculado era um tanto excessivo, portanto, opções com quantidades menores de lâmpadas mostraram-se mais interessantes. Por meio desta pesquisa percebe-se a dificuldade de se projetar iluminação que atenda ao ramo. Definiu-se por fim que o sistema projetado fosse flexível em seu uso elencando circuitos separados de grupos de lâmpadas que permitam de maneira prática níveis abaixo ou acima da iluminância sugerida.

All you see is light, so the quality of illuminance can be a determining factor in reading what you see. Applying this to the practice of a profession shows the importance that light can have, especially for demanding activities. The tattoo business is one of them, where the professional performs careful and design-dependent tasks with a high level of precision. This paper presents a study of the qualitative and quantitative needs for tattoo studio lighting taking into consideration the complexities of the exercise of this art. In this, 3 case studies were carried out with survey of the layout of the procedural environments, identification of the installed lighting systems and measurement of the illuminances promoted by them. From the studies, a procedure room was selected for a retrofit proposal with a new layout that would make better use of natural light during the year and with a new set for artificial light of its own characteristics, tattoo artist and client served. The development of the proposal relied on research by NBR ISO/CIE 8995-1 (ABNT, 2013) through case similarities, luminal calculations by the lumen method and simulations using APOLUX IV. Were performed in the software Percentages of Natural Lighting Utilization (PALN), which assisted in the repositioning of the elements of the chosen room and simulations of the behavior of artificial light emitted by the projected light play. The latter was defined as a set of crowns for indirect and diffused light release and in the simulations four lamp quantity options were tested, one of them being the lumen method. The results showed that the calculated total luminous flux value was somewhat excessive, therefore, options with smaller amounts of lamps were more interesting. Through this research it is perceived the difficulty of designing lighting that meets the branch. Finally, it was defined that the designed system was flexible in its use by listing separate circuits of lamp groups that practically allow levels below or above the suggested illuminance.