Autismo, linguagem e inclusão: as práticas pedagógicas sob a abordagem epilinguística e sociológica

Gonçalves, Mariana Aguiar Correia Lima (2018)

dissertação de mestrado

RESUMO: Esta pesquisa se insere na linha de pesquisa de práticas educativas do Mestrado Profissional em Ensino de Humanidades. Ela objetiva compreender como ocorreu o desenvolvimento da linguagem de uma estudante com autismo no seu processo de escolarização no Ensino Fundamental. Trata-se de um estudo de caso (YIN, 2001) com análise qualitativa (PEDROSA; CARVALHO, 2005) de dados gerados por meio de observações participantes em sala de aula, entrevistas e documentos. Em termos teórico-metodológicos a pesquisa é fundamentada nos pressupostos da Teoria Simbólica (ELIAS, 1994) em possível diálogo com a abordagem epilinguística (FRANCHI, 2002), bem como, com as conquistas históricas que culminaram em políticas públicas. Ao permear o estudo por relatos autobiográficos de autores com autismo, nossas reflexões assumem abordagem histórico-sociológica sobre a linguagem e o uso da língua materna nas práticas pedagógicas de uma escola que se propõe ser inclusiva. Observamos que no processo de escolarização, as especificidades da estudante com autismo, quanto ao uso da linguagem e seus aspectos linguísticos, foram muitas vezes negligenciadas nos relatórios pedagógicos dos anos iniciais do Ensino Fundamental, fragilizando a condução do processo formativo nos anos finais. E esses, por sua vez, invisibilizaram os equívocos linguísticos nas atividades escritas realizadas pela estudante por desconhecerem as especificidades do autismo. Por outro lado, observamos que as práticas pedagógicas nos anos finais potencializavam as relações por meio do diálogo e conduziram o ensino para uma aprendizagem significativa. As experiências educativas com esta estudante, a constatação de que houve aprendizagem e a preocupação com os outros estudantes com autismo matriculados na escola, vem ressignificando o conceito de conhecimento, linguagem e autismo naquela instituição escolar e demandado encontros formativos como iniciativas de cooperação entre professores dos anos iniciais e finais, para diálogos sobre práticas pedagógicas acessíveis a todos. O produto educacional resultante da pesquisa é um caderno em formato de E-Book que apresenta pistas para mediação das práticas pedagógicas nas atividades sob uma perspectiva epilinguística, sociológica e inclusiva.

ABSTRACT: This research is inserted in the research line of educational practices of the Professional Master's in Humanities Teaching. It aims to understand how the language development of a student with autism occurred in her schooling process in elementary school. It is a case study (YIN, 2001) with qualitative analysis (PEDROSA; CARVALHO, 2005) of data generated through classroom observations, interviews and documents. In theoretical-methodological terms, research is based on the assumptions of the Symbolic Theory (ELIAS, 1994) in a possible dialogue with the epilinguistic approach (FRANCHI, 2002), as well as historical achievements culminating in public policies. By permeating the study with autobiographical reports of authors with autism, our reflections assume a historical-sociological approach on the language and the use of the mother tongue in the pedagogical practices of a school that proposes to be inclusive. We observed that in the process of schooling, the specificities of the student with autism, regarding the use of language and its linguistic aspects, were often neglected in the pedagogical reports of the initial years of Elementary School, weakening the conduction of the formative process in the final years. And these, in turn, made invisible the linguistic misunderstandings in the written activities carried out by the student because they did not know the specificities of autism. On the other hand, we observed that pedagogical practices in the final years strengthened relationships through dialogue and led the teaching to meaningful learning. The educational experiences with this student, the finding that there was learning and the concern with the other students with autism enrolled in the school, has been re-signifying the concept of knowledge, language and autism in that school institution and demanded formative meetings as initiatives of cooperation among teachers of the initial and final years, for dialogues on pedagogical practices accessible to all. The educational product resulting from the research is an E-Book format that presents clues for mediation of pedagogical practices in activities from an epilinguistic, sociological and inclusive perspective.


Colecciones: