Revitalização de espaços urbanos: estratégias paisagísticas para integração e interação da praça Mesquita Neto em São Mateus-ES

Alves, Larissa Sala (2023)

tcc

RESUMO: Ao longo do tempo, as funções atribuídas aos espaços públicos livres, como as praças, evoluíram de maneira a influenciar a sua morfologia, seu papel na paisagem urbana e na sua concepção. Compreendidas como territórios sociais, as praças são capazes de gerar o ambiente comunitário, proporcionando encontros e a socialização e, até mesmo, a percepção da cidadania, possuindo, assim, uma tendência em propiciar o sentimento de lugar à um indivíduo, de forma a emitir a identidade individual e/ou coletiva, originando afetividade e memória, conceito que, de certa forma, está atrelado à apropriação do espaço. Entretanto, existem alguns fatores para que isso aconteça. Diante do exposto, de maneira a enfatizar a revitalização de um espaço urbano proporcionando uma aproximação e apropriação das pessoas, o objetivo do presente trabalho é a elaboração de um ensaio projetual da praça Mesquita Neto em São Mateus ES, utilizando estratégias paisagísticas. A fim de atingir tal propósito, inicialmente, foram realizadas revisões bibliográficas acerca dos conceitos relacionados à paisagem, espaços livres, praça, lugar e não-lugar, além da contextualização histórica da área. Foram efetuados, também, estudos de casos assemelhados de praças com características diversas. Na etapa seguinte, de forma a obter um diagnóstico do objeto de pesquisa, foram aplicadas ferramentas de Avaliação Pós-Ocupação (APO) identificando as possíveis carências e potencialidades em relação ao espaço físico e verificando a relação da população mateense com a praça, alcançando, assim, uma ampla compreensão do local e como se articula com a cidade. Posteriormente, a partir das informações reunidas e analisadas, o conceito foi definido e as estratégias e diretrizes foram traçadas. À vista disso, foi elaborado um projeto que incentiva o uso e a apropriação do espaço, o integrando ao contexto em que está inserido, ao mesmo tempo em que fornece às pessoas que utilizam a praça, a possibilidade de interação com o local, de maneira que os usuários possam criar um sentimento de lugar em relação ao objeto de estudo.

ABSTRACT: Over time, the functions attributed to free public spaces, such as squares, have evolved to influence their morphology, their role in the urban landscape and their design. Understood as social territories, squares can generate a community environment, providing meetings and socialization and even the perception of citizenship, therefore tending to provide a sense of place, in order to transmit individual and/or collective identity, originating affectivity and memory, a concept that, in a certain way, is linked to the appropriation of space. However, there are some factors for this to happen. In view of the above, to emphasize the revitalization of an urban space by providing people with an approach and appropriation, the objective of this work is to project a design test for the Mesquita Neto square in São Mateus-ES, using landscape strategies. To achieve this purpose, initially, bibliographical reviews of the concepts related to landscape, open spaces, square, place and non-place were accomplished, in addition to the historical contextualization of the area. Similar case studies of squares with different characteristics were also carried out. In the next stage, to obtain a diagnosis of the research object, Post-Occupancy Evaluation (POE) tools were applied, identifying possible deficiencies and potentialities in the physical space, and to verify the relationship between the population of the city and the square, achieving a broad understanding of the place and how it interacts with town. Subsequently, based on the information gathered and analyzed, the concept was defined, and strategies and guidelines were drawn up. In view of this, a project was developed that encourages the use and appropriation of the space, integrating it into the context in which it is located, while providing people who use the square the possibility of interacting with it in a way that is possible to create a feeling of place with the object of study.