Percepção ambiental dos integrantes do comitê de bacia hidrográfica e atores chaves : uma experiência de mapeamento coletivo

Coswosk, Guilherme Gonçalves (2018)

Dissertação de mestrado

RESUMO: A gestão e o planejamento das águas em bacias hidrográficas devem ocorrer de maneira participativa, integrada e descentralizada. No entanto, um dos grandes desafios para o planejamento e gerenciamento de bacias hidrográficas é a valorização do conhecimento local de atores chaves e dos integrantes que compõem o Comitê de Bacias Hidrográficas (CBH). Este trabalho objetivou avaliar se a percepção ambiental dos integrantes de CBH e atores chaves, por meio do mapeamento coletivo, integra saberes e amplia a gestão participativa de forma eficiente na elaboração de Planos de Recursos Hídricos. Para tanto, foi desenvolvida técnica de mapeamento coletivo decorrente de percepção ambiental capturada por grupo focal e associado a um diagrama de cadeia causal. A técnica foi aplicada experimentalmente por meio de oficinas com integrantes de um CBH e atores chaves. Os participantes espacializaram suas percepções coletivas sobre um mapa-base da bacia previamente elaborado, que gerou os mapas temáticos: localização dos saberes e vivências no território; usos da água; problemas relacionados à água; e fatores de degradação da água. Os resultados contribuíram para a construção de um diagnóstico participativo da bacia, que oferece uma alternativa de técnica a utilizar para a elaboração do Plano de Recursos Hídricos de bacia. Essa técnica permite o desenvolvimento do planejamento de maneira a envolver, ouvir e ampliar as vozes, além de atender às expectativas e aos desejos das comunidades que vivenciam a bacia hidrográfica e que usufruem das suas águas. O mapeamento coletivo para espacializar a percepção ambiental apreendida apresenta-se como via de participação e gestão compartilhada, que proporciona a articulação, a reflexão, o diálogo, a integração de saberes e a construção comunitária e, assim, subsidia o planejamento e a gestão de recursos hídricos.

ABSTRACT: Water management and planning in watersheds should occur in a participatory, integrated and decentralized manner. However, one of the major challenges for river basin planning and management is the valuation of local knowledge of key players and the members of the Hydrographic Basin Committee. This work aimed to evaluate if the environmental perception of committee members and key actors, through collective mapping, integrates knowledge and extends participatory management in an efficient way in the elaboration of Water Resources Plans. For this, a collective mapping technique was developed, resulting from environmental perception captured by a focal group and associated with a causal chain diagram. The technique was applied experimentally through workshops with members of a committee and key actors. Participants spatialized their collective perceptions about a baseline map of the previously elaborated basin, which generated thematic maps: location of knowledge and experiences in the territory; water uses; problems related to water; and water degradation factors. The results contributed to the construction of a participatory basin diagnosis, which offers an alternative technique to be used for the elaboration of the Basin Water Resources Plan. This technique allows the development of planning in order to involve, listen and amplify voices, in addition to meeting the expectations and desires of the communities that live in the river basin and that enjoy their waters. Collective mapping to spatialize perceived environmental perception presents itself as a way of participation and shared management, which provides articulation, reflection, dialogue, integration of knowledge and community construction and, thus, subsidizes planning and management of water resources.


Colecciones: