Gerenciamento de resíduos orgânicos e economia circular : análise em indústrias de alimento

Gama, Jaihany Vicente (2023)

trabalho de conclusão de curso

RESUMO: Diante do cenário de pressão ambiental resultante do modelo linear de produção, a economia circular vem ganhando espaço e reconhecimento como prática em sustentabilidade na indústria. A presença de indústrias de alimento no Espírito Santo implica na geração de resíduos orgânicos e na demanda por um gerenciamento pautado em operações de redução, reuso, reciclagem e recuperação em desvio da disposição em aterro. Nesse contexto, o presente estudo objetivou analisar, do ponto de vista da economia circular, o gerenciamento de resíduos orgânicos em indústrias de alimento da região da Grande Vitória, no Espírito Santo, Brasil. Para fundamentação teórica da pesquisa, são abordados: o conceito de economia circular e sua aplicação na indústria, os aspectos legais e normativos aplicáveis, um panorama sobre as principais indústrias e resíduos gerados no Brasil e no Espírito Santo, além de práticas e estratégias circulares de gerenciamento encontradas na literatura. A pesquisa contou, primeiramente, com o levantamento das indústrias pertencentes ao grupo de estudo proposto, a partir de um banco de dados fornecido pelo órgão ambiental. Em seguida, utilizou-se da análise de conteúdo do processo de licenciamento das indústrias para coleta de dados. Por fim, a análise de dados foi realizada de modo a identificar, a partir da hierarquia dos resíduos orgânicos de Papargyropoulou et al. (2014) e de práticas encontradas na literatura, quais soluções são adotadas. As indústrias de alimento analisadas compõem um grupo heterogêneo composto por abatedouros e indústrias de chocolates, café, leite e ração animal, que produzem uma diversidade de resíduos orgânicos. Dentre as destinações adotadas, a reciclagem foi a destinação mais praticada pelas indústrias, seguida da compostagem e a disposição em aterro. A análise também revelou a presença da economia circular através da simbiose industrial, além da preferência das indústrias em realizar aproveitamento interno dos resíduos e em destinar a empresas locais. Por outro lado, nenhuma empresa preveniu a geração de resíduo e a minoria apresentou meta de prevenção. Com isso, foi possível concluir que, apesar da economia circular estar presente no grupo de indústrias estudadas, as práticas e estratégias apontadas pela literatura como mais prioritárias foram praticadas pela minoria das indústrias. As limitações do estudo decorreram da falta de padronização dos documentos reportados ao órgão ambiental, o que dificultou a comparação e a proposição de melhorias às indústrias. Desse modo, sugere-se que trabalhos futuros visem obter informações junto as indústrias, fortalecendo também a relevância do tema dentro delas.


Coleções: