A aula de campo e suas potencialidades para a promoção da alfabetização científica : um olhar além do alumbramento

Rodrigues, Marjorie Greice (2017)

Dissertação de mestrado

RESUMO: Esta pesquisa investiga a relevância da alfabetização científica e do uso de espaços educativos não formais para uma formação educacional que prepare os indivíduos para o exercício da cidadania. Justifica-se pelo fato de os alunos necessitarem compreender o cotidiano em que os mesmos vivem, fato que traz à baila a importância de inserir a alfabetização científica no currículo escolar, dando uma nova forma de pensar e fazer ao processo ensino-aprendizagem. Tendo como objetivo investigar uma experiência compartilhada de formação continuada, em um espaço educativo não formal, envolvendo professores de Ciências e de outras disciplinas, com a intenção de tornar p processo mais significativo e amplo, com ênfase nas contribuições de uma aula de campo para o trabalho colaborativo e para o desenvolvimento da alfabetização científica, na educação básica, este estudo foi desenvolvido no Parque Nacional da Chapada Diamantina, localizado no Estado da Bahia. Tratou-se de uma pesquisa de natureza qualitativa com procedimentos de um estudo de caso. A coleta de dados se apropriou das técnicas da observação participante, de fotografias e de um relato escrito, materializado na forma de um questionário. A abordagem destes dados ocorreu a partir das categorias capazes de indicar avanços na alfabetização científica, no que tange ao conhecimento acerca do ambiente e de nossa relação com ele. Entrelaçada à pesquisa bibliográfica, este trabalho relata, por meio de um trabalho de campo, uma experiência conjunta entre professores-alunos do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática como parte integradora de atividades da disciplina de “Espaços Educativos Não Formais”. Como resultado, evidenciamos a promoção do conhecimento científico em associação com o local visitado, proporcionando, nesse contexto, a oportunidade de desenvolver habilidades relacionadas à análise de diversos biomas e à realização de atividades inerentes à educação ambiental.

ABSTRACT: This research investigates the relevance of scientific literacy and the use of nonformal educational settings for an educational formation that prepares individuals for the exercise of citizenship. It´s justified by the fact that students need to understand the daily life in which they live, a fact that brings to light the importance of inserting scientific literacy in the school curriculum, giving a new way of thinking and doing to the teaching-learning process. The aim of this study was to investigate a shared experience of continuous training in a non-formal educational setting involving science teachers And other disciplines, with the intention of making the process more meaningful and broad, with emphasis on the contributions of a field class to collaborative work and to the development of scientific literacy in basic education. It was developed in the Chapada Diamantina Park, located in the State of Bahia. It was a qualitative research with procedures of a case study. Data collection appropriated the techniques of participant observation, photographs and a written report, materialized in the form of a questionnaire. The approach of these data occurred from the categories capable of indicating advances in the scientific literacy, as far as the knowledge about the environment and our relation with him. Intertwined with the bibliographical research, this paper reports, through a field work, a joint experience between teachers-students of the Graduate Program in Education in Science and Mathematics as an integrating part of activities of the discipline of "Non-formal Educational Settings". As a result, we highlight the promotion of scientific knowledge in association with the place visited, providing, in this context, the opportunity to develop skills related to the analysis of several biomes and the performance of activities inherent to environmental education.