Práticas de ensino de química: experimentando a sala de aula invertida e a aula expositiva dialogada

Moro, Alice Maria ; Vicente, Ana Cláudia Silva (2022)

Trabalho de conclusão de curso

RESUMO: O acesso à internet e as mídias digitais têm transformado a forma de se comunicar, conviver em sociedade e também de estudar. No campo educacional temos o modelo tradicional de ensino composto em essência por aula expositiva com poucas intervenções discentes, o que a torna insuficiente para atingir as competências e habilidades de aprendizagem propostas pelos órgãos reguladores de ensino, os quais propõe que os estudantes sejam protagonistas e sujeitos ativos no seu processo de aprendizagem. Diante deste cenário, o modelo tradicional de ensino vem sendo complementado com novas práticas, como exemplo, as metodologias ativas. Trata-se de estratégias didáticas com objetivo tornar o discente protagonista da construção do seu conhecimento, centralizando-o no processo de aprendizagem. Em meio a investigações conhecemos a metodologia da sala de aula invertida, a qual propõe que o período destinado a abordagem expositiva do conteúdo aconteça em casa, devidamente orientado, e o momento em sala de aula seja destinado a tirar dúvidas e fomentar bate papos que proporcionem maior fixação do conteúdo, além da possibilidade de realização de trabalhos e projetos com orientação do professor (BERGMANN e SAMS, 2018). Afim de analisar o desempenho de diferentes propostas metodológicas no ensino de Química, o presente trabalho teve como objetivo relatar uma intervenção pedagógica realizada em uma turma do 3º ano do ensino médio sobre o conteúdo de “Introdução à Química Orgânica” utilizando a proposta da sala de aula invertida (turma A) e uma intervenção pedagógica realizada em outra turma do 3º ano do ensino médio também sobre o conteúdo de “Introdução à Química Orgânica” utilizando a aulas expositivas dialogadas (turma B). Para executar as práticas pedagógicas propostas, foram aplicadas duas aulas na turma A e duas aulas na turma B destinadas a trabalhar o conteúdo, e uma aula em cada turma para aplicação de um questionário avaliativo, além das anotações do diário de campo o qual auxiliaria nas nossas análises. Por meio das aulas ministradas, foi possível perceber o comportamento agitado dos estudantes diante da metodologia ativa proposta, a qual permitia movimentação livre em sala de aula, e também maior interação aluno-professor e aluno-aluno. Por outro lado, a metodologia com aula expositiva dialogada proporcionou maior equilíbrio de comportamento durante as aulas, acesso igualitário de explicação e pouca interação aluno-professor comparado a metodologia anterior. Este relato apresenta as intervenções realizadas e discute que o processo de ensino-aprendizagem é dinâmico e que as metodologias de ensino devem ser diversificadas para atingir o público alvo diverso que frequentam as escolas públicas do Brasil.