Avanços na compreensão dos padrões evolutivos em Myrtaceae: estudo de caso do complexo de espécies Eugenia involucrata através de uma abordagem integrativa

Souza Neto, José Dias de (2022)

tese_doutorado

Myrtaceae inclui espécies vegetais com ampla distribuição mundial, sendo a Oceania e as regiões Neotropicais seus centros de diversidade. Na região Neotropical, a família é mais representada pela tribo Myrteae, com 29 gêneros e 2164 espécies de plantas frutíferas com significativa importância ecológica e econômica. A problemática na sistemática dentro de Myrteae limitou os estudos dentro deste grupo. A tribo inclui grandes gêneros com complexos crípticos de espécies, como Eugenia involucrata DC., uma espécie amplamente difundida e com alta variabilidade morfológica. Assim, a compreensão dos padrões evolutivos de Myrteae é de interesse. O principal objetivo deste estudo é fornecer uma visão geral da evolução das Myrtaceae Neotropicais e desvendar a história evolutiva de um complexo de espécies de Myrteae (Eugenia involucrata) através de uma abordagem integrativa baseada em genética de populações, filogeografia e morfometria. No capítulo II desta tese produzimos um artigo de revisão que contempla estudos de Filogenia, Biogeografia, Genética de Populações, Filogeografia, Citogenética e Genômica de Myrtaceae Neotropicais. A partir da análise desses artigos, evidenciamos avanços significativos na pesquisa e algumas áreas de pesquisa negligenciadas. Também detectamos que algumas espécies apresentam dificuldade de manutenção da diversidade intraespecífica devido a atividades antrópicas. Por um lado, identificamos um aumento no número de estudos filogenéticos baseados em marcadores moleculares nos últimos anos, contribuindo para a compreensão dos padrões macroevolutivos. Por outro lado, encontramos uma carência de estudos abrangendo aspectos microevolutivos, como estudos filogeográficos, os quais foram realizados apenas para duas espécies. No capítulo III, realizamos um estudo de diversidade genética e estrutura populacional de E. involucrata no sul da Floresta Atlântica. Também realizamos uma análise da morfometria geométrica foliar dessa espécie a partir de imagens de exsicatas. As análises populacionais com marcadores moleculares nucleares (ITS) e plastidiais (matK, trnC-ycf6, psbA-trnH, trnS-trnG) revelaram que as populações de E. involucrata no sul da distribuição apresentam uma alta diversidade genética e não estão geneticamente estruturadas. A análise das imagens de exsicatas de E. involucrata mostraram que alguns grupos de plantas apresentaram diferenças no formato das folhas. Em conjunto, esses resultados contribuirão para a compreensão dos processos micro e macroevolutivos na tribo Myrteae, e desvendarão a história evolutiva de E. involucrata. Particularmente para mostrar se a variabilidade fenotípica deste complexo está associada a algum fator ambiental ou genético.


Collections: