Jornal escolar : desenvolvendo o letramento digital na educação profissional e tecnológica por meio do ensino híbrido

Lopes, Tiago Cássio Monteiro (2022)

dissertação de mestrado

RESUMO: A presente pesquisa teve como principal virtude buscar estratégias para atenuar um problema que afeta boa parte dos estudantes da educação brasileira. Eles chegam até a última etapa da educação básica com dificuldades de leitura, de interpretação e de produção de texto. Somadas essas dificuldades com o novo contexto do ensino médio brasileiro, essa situação pode ajudar a reforçar a dualidade estrutural que historicamente afeta a Educação Profissional e Tecnológica. Portanto, o objetivo geral deste trabalho foi desenvolver o letramento digital por meio do Ensino Híbrido com estudantes do ensino médio integrado ao técnico em tempo integral da rede estadual do Espírito Santo. As contribuições de Saviani (2007), Kuenzer (1992, 1995) e Gramsci (2001) ofereceram uma importante base para debater conceitos da educação profissional. O suporte teórico para discorrer sobre o letramento digital com práticas de leitura e de escrita a partir do mundo dos estudantes teve subsídios de Freire (1997), Kleiman (2004), Geraldi et al. (2006) e Soares (2002, 2009). O aporte sobre o Ensino Híbrido e outras metodologias ativas recorreu às contribuições Moran (2018), Christensen; Horn e Staker (2013), Bacich; Tanzi Neto e Trevisani (2015) e Bacich (2016). Este estudo de natureza aplicada e de abordagem qualitativa teve como procedimento metodológico a pesquisa participante. Ele foi executado por intermédio da oferta de uma disciplina eletiva, recorrendo ao emprego de um jornal escolar virtual para incentivar a leitura e a escrita a partir do mundo dos discentes, com práticas pedagógicas baseadas no Ensino Híbrido. Mediante a análise de documentos da rede estadual do Espírito Santo, foi possível concluir que, até então, os itinerários formativos oferecidos não estão dando real opção de escolha para os estudantes, como foi propagado nas mudanças da legislação. O que está sendo decisivo na escolha é a localização geográfica do aluno. Também pôde ser verificado que implementar um jornal escolar para propor práticas pedagógicas que promovam o uso social da leitura e da escrita, partindo do mundo dos estudantes, por meio dos seus smartphones, desenvolve o letramento digital. Por fim, o Ensino Híbrido tornou possível, nas atividades desta pesquisa, encontros centrados na figura do aprendiz, desenvolvendo seu protagonismo e autonomia, aumentando o envolvimento dos discentes com aulas mais prazerosas e impulsionando o aprendizado dos estudantes graças ao seu potencial de personalizar o ensino. Sendo assim, no jornal escolar, esses jovens foram alçados a autores do que produziam, exercendo sua cidadania, formando-se em adolescentes capazes de executar um trabalho manual ao mesmo tempo em que efetuavam um trabalho intelectual.


Collections: