Medo e ousadia na educação profissional e tecnológica : a educação das relações étnico-raciais como elemento integrador e questionador do currículo do ensino médio integrado

Bertuani, Adeylson Lichtenheld Craus (2022)

dissertação de mestrado

RESUMO: O Ensino Médio Integrado (EMI), sob um prisma político, filosófico e epistêmico defende a indissociabilidade entre formação geral e a formação para o mundo do trabalho, objetivando a formação humana integral (RAMOS, 2008). Pesquisadores do campo Trabalho e Educação debatem acerca das dificuldades de se realizar a integração curricular em suas diversas dimensões, o que acarreta a perda de qualidade dos processos educativos e a inviabilização do princípio da formação humana integral. Por outro lado, a Educação das Relações Étnico-Raciais (ERER), como estudos obrigatórios na educação básica, encontra pouca ressonância nas escolas brasileiras (GOMES: JESUS, 2013). No EMI a implementação da ERER é mais deficitária, pois existem poucas pesquisas cerca da interlocução dessas temáticas. Observamos, em nossa prática profissional enquanto Técnico em Assuntos Educacionais, a não implementação da ERER na rede federal e a realização do EMI de maneira mecânica, desintegrada, com justaposição de um curso técnico ao ensino médio e o isolamento das disciplinas curriculares. Diante desse quadro e com os debates realizados no ProfEPT formulamos a questão de pesquisa: Como implementar, no cotidiano escolar da EPT integrada ao Ensino Médio, a ERER e promover a integração curricular? O objetivo geral busca contribuir ao desenvolvimento, à aplicação e à validação de práticas pedagógicas integradas em ERER na EPT de nível médio que possam ser trabalhadas e ressignificadas em outros contextos educacionais. A metodologia e a análise qualitativa dos dados (LÜDKE; ANDRÉ, 1986; YIN, 2016) foram atreladas aos aportes da Etnografia Profissional Crítica (RAMOS, 2014) e da pesquisa colaborativa (IBIAPINA, 2008), em diálogos com os estudos de Paulo Freire e as contribuições da pedagogia decolonial (WALSH, 2009, 2014). Foi constatado que é possível superar os isolamentos das disciplinas, a sobreposição de atividades pedagógicas avaliativas e o próprio isolamento do trabalho docente por meio de práticas colaborativas que possuam a ERER enquanto elemento integrador do currículo. Outro achado da pesquisa é sobre o currículo do EMI, que, ao ser trabalhado a partir da Educação das relações étnico-raciais, sofre deslocamentos de abordagem e os grupos sociais historicamente excluídos, os invisibilizados, bem como outros sistemas de pensamentos emergem e questionam a visão monocultural eurocêntrica dos currículos da EPT. A pesquisa viabilizou a construção de produto educacional, a partir do debate teórico acerca da EPT, EMI e ERER, aliado ao projeto interdisciplinar desenvolvido, cujo objetivo consiste em auxiliar os profissionais do EMI a realizar práticas pedagógicas integradas, a implementar a ERER e a contribuir com a formação em serviço desses sujeitos.

ABSTRACT: The Integrated High School (IHS), under a political, philosophical and epistemic prism supports the inseparability of general training from training for the job market, thus aiming at a comprehensive human formation (RAMOS, 2008). Researchers in the field of Labor and Education debate the difficulties to achieve a curricular integration in its several imensions, which leads to a loss of quality in educational processes and makes the principle of an integral human formation unfeasible. On the other hand, the Education of Ethnic-Racial Relations (EERR), which is mandatory in basic education, finds little support in Brazilian schools (GOMES: JESUS, 2013). The implementation of EERR in the IHS is more deficient due to little research regarding the interlocution of such matters. As Technicians in Educational Affairs, we have observed that the EERR has not been implemented in Federal Institutions and the carrying out of the IHS takes place in a mechanical, disintegrated way, overlapping a technical course with High School, besides isolating curricular subjects. Given the latter and the debates held in CTE (Career and Technological Education: ProfEPT, in Portuguese), we have come up with the following research question: How to implement the EERR and an integrated study in the everyday school life of the IHS? The overall objective is to contribute to the development, application and validation of integrated pedagogical practices of the EERR in High School Education that can be worked out and re-signified in other educational contexts. The methodology and qualitative data analysis (LÜDKE; ANDRÉ, 1986; YIN, 2016) were tied to the contributions of the Critical Professional Ethnography (RAMOS, 2014) and collaborative research (IBIAPINA, 2008), taking into consideration Paulo Freire's studies and the contributions of decolonial pedagogy (WALSH, 2009; 2014). It was found that it is possible to overcome the isolation of disciplines, the overlapping of evaluative pedagogical activities and the isolation of the teaching work itself through collaborative practices that have the EERR as an integrating element of the curriculum. Another finding of the research is about the IHS curriculum which, when worked out based on the Education of Ethnic-Racial Relations, suffers displacements of approach and the historically excluded social groups, the ones that are taken for granted, as well as other systems of thoughts emerge and question the monocultural Eurocentric vision of the CTE curricula. The research made possible the construction of an educational product, based on the theoretical debate on the CTE, the IHS and the EERR, along with the interdisciplinary project developed, whose objective is to help IHS professionals carry out integrated pedagogical practices, to implement the EERR and contribute to the in-service training of these subjects.


Colecciones: