[Re]democratizando o espaço público: a relação entre o ciclista e o meio urbano

Saloto, Mateus Bernardo Scussulim (2019)

tcc

RESUMO: A mobilidade urbana acontecia de forma integralizada, onde os pedestres, o transporte público e os ciclistas compartilhavam as vias em equidade até meados do século XX. Depois disso, com o advento do carro, o uso dos automóveis passa a ser favorecido e os espaços públicos destinados a locomoção de pessoas passam a ser atualizados de forma não democrática. Diante disso, este trabalho tem como objetivo potencializar o uso da bicicleta na cidade de Colatina-ES por meio de diretrizes para o planejamento urbano. Para isso, o método utilizado envolve a realização de uma pesquisa empírica acerca da percepção do ciclista, onde o autor experimentou, de bicicleta, percursos dentro da cidade. Esses percursos foram selecionados em função da pesquisa de principais origens e destinos do ciclista realizado pelo plano de mobilidade urbana do município. Por meio dessa experiência foram investigadas as potencialidades e dificuldades do uso da bicicleta em relação a segurança do usuário, a infraestrutura cicloviária, o potencial paisagístico e a topografia da cidade. A junção das percepções obtidas ao realizar os percursos com o conhecimento técnico adquirido através do referencial teórico resultou nas diretrizes que foram sintetizadas em mapas. Com essa experiência concluiu-se que Colatina possui referenciais da paisagem que se destacam no meio urbano, embora algumas não sejam valorizadas, que a topografia acidentada da cidade não configura impedimento ao uso da bicicleta e, além disso, verificou-se que existem mecanismos para amenizar as dificuldades relacionadas ao relevo acentuado. Foi percebido, ainda, que o sentimento de insegurança se fez presente na realização dos percursos e o mesmo está diretamente ligado à existência ou não de infraestrutura cicloviária. Por fim, acredita-se que é possível sanar ou amenizar dificuldades encontradas e proporcionar o uso da bicicleta na cidade de forma democrática.

ABSTRACT: Urban mobility happened in an integral way, where pedestrians, public transport and cyclists shared the roads in equity until the middle of the twentieth century. After that, with the advent of the car, the use of automobiles is favored and the public spaces for the movement of people are updated undemocratically. Therefore, this work aims to enhance the use of bicycles in the city of Colatina-ES through guidelines for urban planning projects. For this, the used method involves an empirical research about the cyclist perception, where the author tried, by bicycle, routes within the city. These routes were selected based on the research of the cyclist's main origins and destinations carried out by the municipality's urban mobility plan. Through this experience we investigated the potentialities and difficulties of cycling in relation to the user safety, cycling infrastructure, landscape potential and city topography. The combination of the perceptions obtained by performing the courses with the technical knowledge acquired through the theoretical framework resulted in the guidelines that were synthesized in maps. With this experience it was concluded that Colatina has landscape references that stand out in the urban environment, although some are not valued, that the rugged topography of the city does not constitute an impediment to the use of the bicycle and, besides, it was verified that there are mechanisms for alleviate the difficulties related to the accentuated relief. It was also noticed that the feeling of insecurity was present in the course and it is directly linked to the existence or not of cycling infrastructure. Finally, it is believed that it is possible to remedy or alleviate difficulties encountered and to provide the use of bicycles in the city in a democratic manner.


Collections: