Ocupações secundaristas no Espírito Santo em 2016 : processos de aprendizagem nos espaços de ação direta

Silva Junior, Antelmo da (2020)

dissertação de mestrado

RESUMO: Esta pesquisa é realizada no Programa de Pós Graduação Stricto Sensu em Ensino de Humanidades, na linha de pesquisa de práticas educativas. Trata-se de investigar processos de aprendizagem voltados a formação de consciência crítico reflexiva com estudantes do ensino médio a partir das experiências ocorridas nos movimentos de ocupação das escolas do Espírito Santo em 2016. A partir desta premissa, buscaremos identificar e analisar quais e como foram desenvolvidos os espaços, contextos, formatos aplicados na ação de “ocupar e resistir” para compreender como, efetivamente, se aprende inserido nesta realidade particular. Para entender um movimento tão diverso que diferente da ação política tradicional organiza-se de maneira horizontal, sem a imposição de lideranças, trouxe consigo, além da potência e capacidade de reinventar-se dessa estratégia, uma discussão necessária sobre a participação popular nos processos decisórios das cidades. A prática de pesquisa aplicada nessa dissertação a cartografia vai ao encontro da percepção de uma linha que permita identificar tais aprendizagens utilizando as memórias e a imersão no acontecimento, uma vez que o foco se dá no processo e não em um fim em si. Uma forma de mergulhar no caudaloso rio de probabilidades de aprendizado que as ocupações secundaristas nos presentearam. A partir das referências teóricas fundadas nos conceitos de ação direta em uma perspectiva anarquista, na ideia do comum em Antônio Negri e Michel Hardt, na perspectiva rizomática de Deleuze e Guatarri e atravessada pelo conceito de educação menor de Silvio Gallo buscamos trazer a tona as inventividades e construções que envolveu “Ocupas”, apoiadores e toda sociedade que foi alcançada pelo movimento. O Produto educacional desenvolvido em forma de um canal de youtube pretende promover o acontecimento irrepetível através dos discursos e das vivências de todos envolvidos na ocupações secundaristas de 2016 no Espírito Santo sem a pretensão de analisa-los ou traduzi-los permitindo que as ocupações sigam produzindo invenções e linhas de fuga na busca por uma educação para liberdade sem tutelas.